• Adulto

Veja os títulos para:

QUINTA-FEIRA, 13 DE DEZEMBRO DE 2018

Cine Brasil TV

Grade de Programação

  • 100 Anos Luz Um panorama afetivo e histórico década a década do século XX, mostrando as transformações nas tecnologias e as consequentes mudanças nos hábitos.
  • 13 Canções Para Entender o Samba Com a chegada de Getúlio Vargas ao poder em 1930 o Brasil se moderniza rapidamente. No ramo do entretenimento, o crescimento industrial consolida o samba como a música popular do Rio de Janeiro, sendo ouvido, composto e tocado por cariocas de todas as classes sociais. Wilson Batista, um jovem compositor negro desconhecido, compõe Lenço no Pescoço em homenagem ao malandro, aquele que leva a vida fácil e despreza o trabalho. Noel Rosa, compositor branco muito famoso, faz o samba-resposta Rapaz Folgado, no qual aconselha Wilson a deixar a navalha de lado, vestir terno e gravata e ir trabalhar. A indústria fonográfica se aproveita do embate para vender discos. Podemos ver nessa polêmica uma disputa entre o samba negro autêntico e o samba branco assimilado? A malandragem foi uma forma de resistência daqueles que não queriam ser explorados na sociedade de massas? Qual foi o motivo da disputa entre Noel e Wilson?
  • 13 Canções Para Entender o Samba Nos anos 1940 o Brasil está na moda! Com a política de boa vizinhança na Segunda Guerra, Hollywood projeta para o mundo a identidade de um país vibrante, dançando ao ritmo do samba cantado pela brasileiríssima Carmen Miranda, uma portuguesa de olhos verdes. Trata-se de um projeto de nação moderna, cordial e exuberante, que tem como cérebro o Rio de Janeiro, como veias as ondas do rádio e como coração a batida do samba. Com Aquarela do Brasil, Ary Barroso compõe uma espécie de segundo hino nacional, inaugurando o estilo samba-exaltação. Um samba orquestrado, com muitos violinos e pouca batucada, composto por um pianista branco de classe média que exalta o coqueiro que dá coco. O que essa maneira de enxergar o Brasil diz sobre nós? Como reconhecemos nossa brasilidade? Porque o samba é o ritmo brasileiro por excelência?
  • 13 Canções Para Entender o Samba Nos anos 1970, período em que a maior parte das formas de expressão estava censurada pela ditadura, a música constituía território privilegiado. O Brasil crescia rapidamente durante o "milagre econômico", e o samba ganhava novamente espaço como música que alcançava o gosto do público e não desagradava os ouvidos dos generais. Clara Nunes desponta como a cantora de maior sucesso do Brasil, e sua presença massiva no rádio e na TV ajuda a promover grandes sambistas do período. As Forças da Natureza foi um de seus maiores sucesso, sendo até tema de abertura de telenovela. Mas logo o samba perderia espaço para a moda da disco music. Como se deu a relação entre samba e mercado num dos momentos de apogeu da indústria fonográfica? O samba nos anos 1970 foi só mais uma moda passageira?
  • 13 Canções Para Entender o Samba O samba rural paulista teve origem nos batuques de escravos nas fazendas de café do interior de São Paulo. Era em Pirapora de Bom Jesus, importante centro de romaria próximo à capital, que os escravos de todo interior se encontravam e faziam batuque em dias de festa. O samba que ali se formou batia o bumbo à maneira de cantar e tocar dos escravos, se mantendo até os dias de hoje. Geraldo Filme, quando menino, visitava estes encontros musicais e desde cedo começou a compor. Ele foi historiador das tradições e militante das comunidades do samba. São Paulo, Menino Grande, é uma de suas mais importantes canções, que tem a saudade como tema principal. Como os sambistas buscaram afirmar uma tradição na metrópole que a todo o momento ergue e destrói coisas belas? Numa São Paulo marcada pelo progresso, a saudade é também uma forma de resistência?
  • 1967 - O Ano do Desastre No dia 18 de março de 1967, a cidade de Caraguatatuba, no litoral paulista, viveu uma das maiores catástrofes naturais ocorridas no Brasil até os dias de hoje: enchentes e deslizamentos de serras inteiras sacrificaram mais da metade da população. A tragédia é narrada pelos sobreviventes e revivida pelos espectadores.
  • 3 canções Ná Ozzetti e Dante Ozzetti conversam sobre 3 composições da Ná: "Canto em Qualquer Canto", "Equilíbrio" e "Toque de Reunir". Nesse episódio presenciamos o raro fato de ouvir Ná Ozzetti ao piano.
  • 3 canções Os irmão Ozzetti apresentam e conversam sobre 3 composições de Dante Ozzetti: "Dentro e Fora", "Os Passionais" e "Crápula".
  • A Cor do Fogo e a Cor da Cinza Wagner vive na favela e desde os 7 anos de idade é proprietário da Rede Metror, um canal de televisão feito de papel e lápis de cor. Após 11 anos e mais de 70 novelas transmitidas, Wagner dirige pela primeira vez atrizes real.
  • À Espera No campo, entre o vento e os pássaros, Fernanda aguarda. Marcos espera Fernanda voltar à vida.
  • A Festa dos Reis No Brasil, a tradição da Folia de Reis é viva na região nordeste do Estado de São Paulo e sudoeste de Minas Gerais. A Companhia de Reis, formada em Santo Antônio dá Alegria, há mais de cem anos vem passando de geração em geração até nossos dias.
  • A Guerra de Toyo A Guerra de Toyo é um relato impressionante de uma sobrevivente do período da segunda guerra mundial . Toyo Kato é japonesa, mas vivia na Manchúria (China) e encontrou forças para reconstruir a sua vida no Brasil.
  • A Idade Da Água Dirigido pelo cineasta Orlando Senna, diretor do aclamado "Iracema - Uma Transa Amazônica", o documentario "Idade da Água" traz um alerta sobre a questão da falta de água no planeta e a cobiça internacional da Amazônia, o maior reservatório de água doce do planeta. Além de concentrar 20% da água potável do mundo, a Amazônia é a região com maior possibilidade de manter seus mananciais nas próximas décadas, graças umidade de sua floresta. O que explica a cobiça que vem sofrendo constantemente.
  • A Jangada de Raiz As reflexões de Edilson Miguel da Silva, pescador artesanal do Ceará, sobre uma jangada feita com raízes, instrumento principal de seu trabalho. Por mais de 35 anos, construiu e utilizou esse tipo de embarcação. É o único em sua região que ainda detém o segredo do saber fazer.
  • À Moda da Casa A família Pertot, formada por colonos alemães de Petrópolis, nos apresenta o seu 'Falscher Hase', ou “falso coelho”, uma receita de bolo de carne com alguns segredos que Renata Pertot passa para Ciça Roxo com, digamos, um pouquinho de relutância.
  • À Moda da Casa Wilton Txiquema, o DJ Falcão, gosta de reunir seus amigos para, ao som dos ritmos angolanos, saborear um 'Mufete', prato típico de Luanda à base de peixe, e homenagear a memória de sua querida mãe Rosária.
  • A Noite dos Palhaços Mudos Dois palhaços mudos resgatam um companheiro sequestrado por uma organização que tem como objetivo o extermínio da classe.
  • A Nuvem Em 2006, um acidente com deriva de agrotóxico atingiu a promissora cidade de Lucas do Rio Verde, estado do Mato Grosso. Um grupo de cientistas em saúde coletiva iniciou uma grande pesquisa, que verificou impactos do uso dos agrotóxicos na população e no ambiente. O documentário faz uma memória dessas pesquisas e verifica o que foi feito por parte do poder público para diminuir as consequências do uso dos agrotóxicos.
  • A Ratoeira Será que um simples chocolate é capaz de levar uma pessoa ao extremo?
  • Água de Meninos - A Feira do Cinema Novo Relembra os filmes "Sol Sobre a Lama" e "A Grande Feira", que retratavam as condições de vida da sociedade baiana na década de 60, o cenário era a Feira de Água de Meninos que foi incendiada.
  • Água e Cooperação, Reflexões Para um Novo Tempo Um olhar transdisciplinar sinalizando caminhos para uma relação mais cooperativa e sustentável com este elemento que é base da vida em nosso Planeta: a água.
  • Ai Que Vida! Cleonice decide se candidatar à prefeitura enquanto seu filho, Valdir, cumpre pena em uma instituição filantrópica e acaba se apaixonando por uma moça que está para casar. Na fictícia Poço Fundo, política e afeto se misturam, em uma saga contra a corrupção permeada por boas risadas.
  • Alambrados do Subúrbio Os estádios do Olaria e do Bonsucesso são espaços tradicionais de sociabilidade e convivência dos moradores do subúrbio carioca. E testemunham os prazeres do velho futebol em tempos de investimentos multimilionários no esporte.
  • Algodão Entre Espelhos Históra do desenvolvimento de Minas Gerais nas décadas de 1960 a meados de 1980. A quebra de políticas coronelísticas, a criação de leis e processos de preservação do patrimônio cultural, o salto na economia e os reflexos na educação, indústria e comércio.
  • Alma Açoriana O Filme mostra os vestígios da colonização açoriana em Florianópolis, através de imagens de casarios, objetos e manifestações culturais. Destacam-se também pescadores, rendeiras, benzedeiras, artífices e autênticos descendentes dos açorianos que chegaram ao Brasil a partir do século 18.
  • Alovilasso O filme narra o cotidiano da Alovilasso, agricultora em uma aldeia de Akposso, no centro de Togo. Alovilasso é uma mulher guerreira, trabalhadora, independente e livre.
  • Amadores do Futebol O Universo do futebol amador disputado no Paraná como recorte de um fenômeno e de uma paixão presente em todo o Brasil.
  • Anjos de Ipanema Amigos que conformaram uma "tribo" no movimento hippie exacerbado no verão de 1971/72, no Pier de Ipanema, Rio de Janeiro, rememoram quase meio século depois as fortes emoções daquele momento transgressor, libertário e lisérgico. Conversam e refletem sobre o que consideram o acontecimento mais marcante de suas vidas, que moldou suas personalidades: drogas, sexo, repressão, espiritualidade, paz e amor. Com cenas filmadas na época por eles mesmos e comovente sinceridade reconstroem a intimidade dos "desbundados", como eram conhecidos, e se declaram eternamente hippies.
  • Anônimos Famosos - Mr. Paris Antes do sol nascer, Mister Paris, dá início a um ritual diário e se exercita numa Praça da Tijuca, zona norte do Rio.
  • Anônimos Famosos - Natasha Natasha, a Mulher Cobra, demonstra suas habilidades como contorcionista. Do picadeiro para os palcos.
  • Anônimos Famosos - Sheik O dia a dia do Sheik, Marco, desde a cozinha, onde são preparados os deliciosos salgados, até o badalado point da Praia de São Conrado.
  • Aparados da Serra - Terra de Gigantes Enormes paredões rochosos com cerca de mil metros de altura, rios, cachoeiras, mata atlântica, floresta de araucária e uma infinidade de fauna e flora constituem o cenário do documentário Aparados da Serra - Terra de Gigantes.
  • Aprender a Sonhar Marina sai do Quilombo para estudar medicina na cidade grande com a roupa do corpo e sem dinheiro. Nadijane, uma sem-teto, sonha em cursar Direito, tira nota suficiente no Enem, mas não consegue entrar na universidade pública.
  • Aprender a Sonhar Marina, neta de escravos, estudante de medicina narra como é ultrapassar a fronteira desses dois mundos. A arquiteta Edjane, conta como é deixar de ser a filha da empregada para se tornar colega de profissão do ex-patrão da mãe.
  • Aprender a Sonhar Nadijane, recorre a uma faculdade particular uma vez que não conseguiu ingressar numa pública. Alan, filho de pescador, hoje professor de uma faculdade particular, reflete sobre os benefícios e limitações do ensino privado.
  • Araguaia Denuncia e reconstitui o massacre de 69 pessoas que faziam parte da Guerrilha do Araguaia, ocorrida entre 1972 e 1974, na floresta amazônica no sul do Pará. Pela primeira vez, militares assumem seus crimes e descrevem em detalhes como mataram dezenas de pessoas a sangue frio. Neste conflito, houve a maior mobilização de tropas no Brasil desde a Guerra do Paraguai e a Segunda Guerra Mundial; as forças militares utilizaram cerca de sete mil homens para combater e eliminar os guerrilheiros.
  • Armat Jakawinaka - Vidas Ausentes Rosa é mulher imigrante e grávida de um desconhecido em São Paulo. Ela decidiu não voltar.
  • Arquibancadas Durval Lelys, líder do grupo Asa de Águia, já compôs uma música de carnaval para o Esporte.
  • Arquibancadas O comediante Diogo Portugal é torcedor do Coxa, como é conhecido o Coritiba Foot Ball Club, e, mesmo morando em São Paulo, não esquece o clube da capital paranaense Curitiba.
  • As Coisas Não São Feitas Por Acaso Este é um filme sobre Eduardo Gageiro, que parte das histórias de duas imagens e que as cruza com a da preparação do seu último livro. Um filme que mostra como o olhar profundamente português deste fotógrafo viu as transformações em Portugal e no mundo nos últimos 60 anos.
  • As Incríveis Histórias de um Navio Fantasma Los Angeles, 1932. Em meio à Grande Depressão, a terra do cinema prepara-se para sediar uma Olimpíada dos sonhos. Mas, longe dos holofotes, uma delegação tropical faz de tudo para entrar em cena.
  • As Máscaras de Nilo As máscaras carregam o culto aos antepassados. Uma herança preservada ao longo dos tempos, que constitui o imaginário da cidade de Nilo Peçanha, na Bahia.
  • Até O Primeiro Disco Sinopse Não Disponível.
  • Ateliê de Gaia O Atelier de Gaia é um espaço de criação e um local de transformação: onde entram pacientes e saem artistas.
  • Atlético Clube Seridó Todo domingo eles ainda se reúnem no velho estádio Honorião. Não há um que já não esteja aposentado. Todos torcem para o Atlético Clube Seridó, finalmente campeão pela primeira vez. Um falso documentário capaz de enganar mesmo o espectador mais atento.
  • Atol das Rocas - Reserva Marinha Um pedacinho do Brasil desconhecido por quase todos os brasileiros, o Atol das Rocas não é apenas um "paraíso preservado", é o palco de estudos e projetos de conservação que beneficiam regiões muito além de suas fronteiras.
  • Azul Na casa onde ela se sente segura, o tempo não passa. Azul vive entre memórias e lutas contra a realidade que a obriga a seguir em frente. Enquanto o silêncio se torna sua companhia, sua mente nunca fez tanto barulho.
  • Bahia de Todos os Cantos A cidade de Bom Jesus da Lapa é um dos lugares mais importantes e visitados quando se fala em fé cristã no Brasil. Daniel e Wendel acompanham fiéis e o comércio de produtos da fé.
  • Bahia de Todos os Cantos A mãe de Cyntia, Dona Dorinha, participa de um trabalho na produtora. Mais do Festival de Música de São Gabriel.
  • Bahia de Todos os Cantos Cyntia, a nova integrante da equipe, começa a mostrar suas garras: ela quer crescer na produtora e vai utilizar todas as suas armas. Enquanto isso, Daniel e Wendel apresentam o turismo religioso na Bahia.
  • Bahia de Todos os Cantos Daniel e Wendel pesquisam a vida do músico Capinam, um dos responsáveis pelo resgate da história do tropicalismo, através de suas memórias e realizações.
  • Bahia de Todos os Cantos Daniel Oliveira conhece Capinan e decide tê-lo como personagem de sua matéria, que terá um desafio para o mestre da música. Enquanto isso, Cyntia Nogueira continua armando, dessa vez utilizando Wendel como isca.
  • Bahia de Todos os Cantos Daniel Rabelo e Wendel Damasceno apresentam as diferenças entre patrimônio imaterial e natural, falam sobre suas ex-companheiras de trabalho, Heide e Carla, e vão conhecer sua nova chefe, Jucileide.
  • Bahia de Todos os Cantos O Festival de Música de São Gabriel, a Roda de São Gonçalo e Irecê. Wendel sonha com Jucileide. A mãe de Cyntia faz uma visita à produtora.
  • Bahia de Todos os Cantos O simbolismo e a tradição da comemoração de Cosme e Damião na região metropolitana pelas repórteres Carla e Heide, antigas colegas da produtora. Uma antiga paixão de Wendel, Antônia, aparece por lá.
  • Bahia de Todos os Cantos Vamos conhecer a rotina do assentamento de Serrolândia, a chegada da água e do sonho da casa própria, as rezadeiras e benzedeiras de Saúde.
  • Bahia de Todos os Cantos Vamos conhecer o teatro de bonecos de Vila São Vicente, o Samba Chula de Piritiba, o mamão verde com jabá de Dona Matilde e muito mais do Piemonte do Paraguaçu.
  • Bahia de Todos os Cantos Wendel fica preso no elevador com Antônia no dia de seu aniversário. O caruaru de Cosme e Damião.
  • Bahia de Todos os Cantos Wendel viaja para a cidade de Cachoeira, no Recôncavo baiano, onde desvenda o conceito de patrimônio imaterial. Uma nova assistente, Cyntia, integra a equipe.
  • Bahia de Todos os Santos Realizado para o programa Globo Repórter, o documentário é baseado no livro homônimo de Jorge Amado. O próprio romancista, ao lado da esposa e também escritora Zélia Gattai, fala sobre a originalidade da cultura baiana, a mistura de raças e os personagens da região que inspiraram suas obras.
  • Barcaças do Tempo As condições de trabalho dos pescadores de uma comunidade na Baía de Guanabara e a pesca artesanal sendo ameaçada, devido a uma série de problemas ambientais.
  • Bom Dia Arqueologia Carros, gente, movimento urbano, modernização. De um lado, o crescimento da cidade a partir do seu epicentro; do outro, um município distante, São João Marcos, que, por decreto, é destituído do seu tombamento.
  • Bom Dia Arqueologia Na busca por vestígios do período de escravidão, a arqueologia traz à luz alguns pertences dos negros que construíram as fortunas de seus senhores.
  • Brasil 2050 Continuamos a abordar o projeto Água Brasil, com a implementação de boas práticas entre os agricultores de cana da região de Lençóis, São Paulo.
  • Brasil 2050 Tratamos do projeto Água Brasil, com dois cases dentro do projeto: recuperação da mata ciliar na microbacia do Igarapé de Santa Rosa em Xapuri, no Acre e na bacia do Piripau.
  • Brasil Folclore A Expoflora é a maior exposição de flores e plantas ornamentais da América Latina, realizada anualmente em Holambra para dar as boas-vindas à primavera.
  • Brasil Folclore Festa das Flores e Morangos traz como tema "Riquezas da Terra" que é uma homenagem ao trabalhador rural e as dádivas da natureza e que tornou a cidade de Atibaia e região referência no cultivo de flores e morangos.
  • Brasileiros S/A A fronteira entre o Brasil e a Guiana Francesa abriga uma profissão bem característica da região: os catraieiros. Diariamente, Luís Antônio e uma dezena de outros catraieiros realizam de 6 a 8 travessias de balsa entre o Oiapoque (AP) e São Jorge (Guiana Francesa) levando pessoas das mais diversas classes sociais, que vão de trabalhadores a estudantes das escolas francesas. Profissão esta que em breve será extinta, a ponte que liga os dois países, construída há alguns anos, foi recentemente inaugurada.
  • Brasileiros S/A Apesar da extinção do maior garimpo brasileiro, a Serra Pelada, o Brasil continua ocupando o 9º lugar como produtor mundial de ouro. "Depois que a pessoa entra no garimpo, você não vai conseguir reverter e fazer com que ela volte a fazer o que fazia", conta Pedro Ivo sobre a vida no garimpo, localizado a 300 km da cidade mais próxima, Itaituba, e 1200 km da capital paraense, Belém. Engenheiros, advogados e médicos são contaminados pela "febre do ouro".
  • Brasileiros S/A As mais de 850 feiras livres da cidade de São Paulo atraem milhares de pessoas, seja pelo preço, seja pelo frescor dos alimentos ou até mesmo pelo famoso pastel com garapa. Diferente da maior parte da população, o dia-a-dia do feirante Rogério começa às duas e meia da manhã quando vai ao Ceasa, maior centro de abastecimento de frutas, verduras, flores e pescados da América Latina para adquirir os pescados que irá comecializar em sua barraca.
  • Brasileiros S/A Diariamente, cinco mil pessoas ligam para o serviço público de emergência, resultando em cerca de mil ocorrências espalhadas pelo Brasil. Diferente de um motorista comum, as ambulâncias do SAMU são guiadas por condutores-socorristas, treinados para auxiliar a equipe médica a prestar os primeiros-socorros. Em São Paulo, além do preparo emocional para lidar com cenas pesadas, o maior desafio do condutor-socorrista Rodrigo é escapar do trânsito: são em média 7 milhões de veículos e mais de 6 mil cruzamentos com semáforos.
  • Brasileiros S/A Geralmente iniciada a partir de um hobby entre amigos, a produção de cervejas artesanais têm ganhado espaço e se transformado em uma profissão. O mestre cervejeiro José Felipe nos apresenta a fábrica da Wälls, eleita uma das melhores cervejas do mundo em 2015 com a receita da Wälls Brut, e o processo de produção da maior paixão do brasileiro, em segundo lugar ficou o futebol.
  • Brasileiros S/A Na contramão da glamourização da gastronomia, a série acompanha uma cozinha profissional e uma das profissões mais estressantes do mundo. Do recebimento dos insumos à mesa do cliente, o trabalho na cozinha é intenso, principalmente quando se atende de 600 a 1000 pessoas diaramente. Profissão pouco valorizada, o auxiliar de cozinha Weslley nos conta como é o início de carreira antes de atingir o tão almejado título de chef de cozinha.
  • Brasileiros S/A Nos anos 1980, a taxa de mortalidade infantil no interior do estado do Ceará atingiu o índice alarmante de 9 mortes em cada 10 crianças, principalmente por diarreia. Na tentativa de solucionar o problema, o governo criou o programa de Agentes Comunitários de Saúde, que desde então atuam na própria comunidade em atividades de prevenção de doenças e promoção da saúde. Lenita, agente comunitária de saúde de Maranguape (CE) há mais de 25 anos, conta os desafios de seu dia-a-dia atendendo a mais de 170 famílias.
  • Brasília Capital Brasileira do Futebol Mundial Documentário que retrata a Copa do Mundo 2014, tendo como foco central a cidade de Brasília, Capital Federal do Brasil. Traça um paralelo entre a atmosfera vivida pelos jogos no país do futebol e a arquitetura de Oscar Niemeyer. É emoção verde e amarela expressada em múltiplos idiomas pelo turista internacional. Destaca o Estádio Mané Garrincha como obra monumental; onde o futebol e a arte se conectam ao universo da metrópole do Cerrado.
  • Brasilianos - Jovens Músicos do Neojibá Três jovens inseridos no mundo dos acordes e dos instrumentos desde muito novos. Eles relatam como nasceu o desejo de tocar, suas dificuldades e o momento em que o NEOJIBÁ trouxe a música erudita para suas vidas.
  • Brichos As aventuras de um trio de animais adolescentes num universo formado pela fauna brasileira, convivendo de forma harmoniosa numa cidade semelhante a dos humanos, a Vila dos Brichos.
  • Brichos - A Floresta É Nossa Os habitantes da Vila dos Brichos precisam decidir o futuro da sua cidade, ameaçada de perder sua floresta para investidores-terroristas internacionais. Armados de coragem, inteligência e bom humor, nossos heróis encaram o desafio que será decidido nas areias de Noforest, na gelada Iceforest e na exuberante Brainforest.
  • Caixa D'água: Qui-lombo É Esse? Através dos depoimentos de antigos moradores e acervos fotográficos, o documentário ressalva a importância histórica e cultural de um bairro remanescente de Quilombos.
  • Califa 33 Repórter policial que retirava a notícia do esgoto. Às vezes a embelezava, às vezes a contava nua e cruamente Ali Chaim.
  • Caminho das Pedras Alunos de um cursinho comunitário no Rio das Pedras, zona Oeste do Rio de Janeiro, batalham por uma vaga na Universidade.
  • Capitais Brasileiras O Brasil é um país de dimensões continentais. Nessa primeira temporada, estarão em foco as doze cidades selecionadas para serem sede da Copa do mundo de futebol.
  • Carnaval em Lá Menor Este episódio mostra a arte, o gingado e os sonhos dos mestres-salas mirins que serão os artistas das escolas de samba no futuro, com depoimentos desses bailarinos.
  • Carnaval em Lá Menor Este quarto episódio da série mostra o baile de imagens gravadas nos desfiles realizados no Sambódromo pelas escolas mirins do Rio de Janeiro e nos ensaios técnicos das grandes escolas paulistas no Anhembi, com depoimentos de pais e educadores.
  • Carne Osso Os frigoríficos brasileiros ganham mercado em todo o mundo. Mas na esteira desse sucesso estão histórias pouco conhecidas de trabalhadores afastados por jornadas intensas, penosas e repetitivas.
  • Carrapateira Não Tem Mais Ciúmes da Apollo 11 Em 1969, Carrapateira, PB, foi considerada uma das cidades mais carentes do Brasil. No mesmo ano, a tripulação da Apolo 11 pisava o solo lunar pela primeira vez. Mais de 30 anos depois, o documentário mostra como vive o povo de Carrapateira hoje e relaciona a conquista da Lua com sonhos de progresso e prosperidade no sertão nordestino.
  • Cartas do Desterro Oksana é armena nascida no Arzebajão, de onde foi expulsa aos 14 anos; Salamu é saharaui, mas sua família fugiu do Sahara Ocidental. Ambos vivem em Londres, cidade que abriga milhares de imigrantes e refugiados de diversas partes do mundo.
  • Casca de Baobá Maria, uma jovem negra nascida em um quilombo no interior do estado, é cotista na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Sua mãe, Francisca, leva a vida cortando cana nas proximidades do quilombo. As duas trocam mensagens para matar a saudade e refletir sobre o fim de uma era econômica-social.
  • Catavento - Tudo ao seu Tempo Trabalho e Criança são duas palavras que deveriam ser consideradas opostas dentro de uma mesma frase. Assim, pretende-se mostrar através de comparações o que é o trabalho infantil, como ele deve ser combatido.
  • Causando na Rua A Iniciativa Rios e Ruas faz um passeio pela bacia do Rio Saracura em São Paulo, desde o MASP, por onde passa o rio, até sua nascente.
  • Causando na Rua Conhecido por sua ação “Quadro Negro”, o grupo OPNI faz uma pintura especial para nossa série que retrata Luiz Gama, advogado que libertou mais de 500 escravos no Brasil e que foi impedido de estudar por ser negro.
  • Causando na Rua O duo de artistas visuais “Paulestinos” promove o sincretismo de culturas através de seus lambe-lambes e pergunta: o imigrante, o que é?
  • Causando na Rua O episódio de abertura da série conta a história e a atuação dos coletivos que deram origem ao artivismo praticado no espaço público da Cidade de São Paulo, com a participação dos coletivos Viajou sem Passaporte, 3NÓS3 e TUPINÃODÁ.
  • Chão de Fábrica A reestruturação produtiva Itamar Franco, sucessor de Collor, entendeu que o neoliberalismo com altas taxas de inflação, não daria certo. Então ele combateu a inflação, com êxito, aplicando o Plano Real. Nessa período começa, no Brasil, a Reestruturação Produtiva, a aplicação do Toyotismo em nossas empresas, promovendo uma ideologia individualista que combatia a consciência de classe dos trabalhadores. Se o neoliberalismo foi a mudança político-econômica, promovida pelos Estados, para superar a crise dos anos 70, a reestruturação produtiva foi a resposta das empresas para a mesma crise. Os Sindicatos tem dificuldades cada vez maiores para reagir a essas políticas. A esquerda tenta reagir, mas na eleição presidencial de 1994, Lula é derrotado por Fernando Henrique Cardoso.
  • Chão de Fábrica A retomada. Em seu segundo governo, Lula aprofundou as politicas que havia iniciado, tanto no aumento do salário mínimo, desenvolvimento de diversos programas sociais e um forte impacto no sistema educacional brasileiro com a criação de novas universidades e cursos técnicos. Foram gerados 22 milhões de empregos, afastado da fome 2 milhões de pessoas, os sindicatos estavam vivos e pujantes. Mas as reformas fundamentais da sociedade continuaram sem ser feitas e o numero de centrais sindicais aumentou demais. Embora sem transformar a base da sociedade, Lula se tornou tão popular que foi capaz de eleger sua sucessora, a primeira presidenta do Brasil, Dilma Rousseff.
  • Chão de Fábrica O Brasil Cresce. O Governo Dilma se caracterizou fortemente pelo neodesenvolvimentismo. O seu governo fez, em termos de infraestrutura, mais do que todos os governos anteriores tinham feito, inclusive o do próprio Lula. Mas ela não tinha a mesma facilidade para o dialogo, inclusive com a base sindical, que seu antecessor. E isso gerou mal estar no próprio campo governista. Mas seu principal desafio foi que a partir de 2008 o sistema capitalista mundial entrou em crise: uma queda brutal no preço das commodities no mercado internacional. Mesmo a China deixou de crescer tanto e isso se refletiu numa queda dos recursos que entravam para a economia brasileira. O reflexo não foi imediato, porque o país tinha reservas, mas depois de algum tempo isso começou a frear o desenvolvimento do Brasil. O movimento sindical sentiu fortemente o golpe que isso trouxe para o nosso país.
  • Chão de Fábrica O governo Collor tenta aplicar o Neoliberalismo no Brasil. Se desde Getúlio até a ditadura militar a crença era a de um Governo forte, indutor do desenvolvimento, agora tínhamos, com o Neoliberalismo, a globalização, a desregulamentação das leis trabalhistas, as privatizações e o trabalho terceirizado. O governo Collor reprimiu os movimentos sociais, a CUT e os sindicatos. O movimento sindical racha e surge a Força Sindical. Mas, logo, na medida em que os trabalhadores e grande parte dos empresários estavam contra o Governo, surgiu um forte movimento pedindo o impeachment do presidente os Carapintadas. Collor é afastado da presidência.
  • Chão de Fábrica O governo FHC se empenhou em implantar o Neoliberalismo em sua plenitude no Brasil. Mas a reação dos Sindicatos, mesmo abalada pela Reestruturação Produtiva, ainda era forte. O governo precisava derrotar exemplarmente os Sindicatos, tal como na Inglaterra Margareth Thatcher conseguira durante a greve dos mineiros. O confronto que FHC utilizou para obter uma vitória paralela a essa foi a greve dos petroleiros. A derrota dos petroleiros em face da truculência de uma repressão cada vez mais sofisticada, abriu caminho para o neoliberalismo e o movimento sindical brasileiro se viu diante de seu momento mais difícil desde o surgimento do Novo Sindicalismo em 1978. FHC concorreu, contra Lula, a seu segundo mandato e, principalmente por causa do sucesso do Plano Real, ganhou mais uma vez.
  • Chão de Fábrica O Grande Pacto. Ao assumir o governo brasileiro em 2003, Lula promete, através da “Carta aos Brasileiros” a participação de todos, trabalhadores e empresários no governo. Ao mesmo tempo, ele aproveita a situação internacional favorável para venda dos produtos brasileiro, sobretudo os produtos primários. Nesse aspecto, a China tem grande importância e contribui para um grande aumento das reservas brasileiras, o que permite ao governo de Lula pagar a divida externa e pela primeira vez em muitas décadas, se tornar credor ao invés de devedor. Isso trás um alivio para o mercado interno, possibilitando o crescimento da economia e do emprego. Seu governo tem grande sucesso no desenvolvimento de politicas sociais (o que vai garantir sua reeleição), mas não consegue fazer transformações mais profundas na economia e na relação de classes no país.
  • Chão de Fábrica O presente e o futuro. A história do Novo Sindicalismo que contamos nessa série começou nos anos 80. Assistimos a luta entre os modelos de desenvolvimento do Estado de Bem Estar Social com o Neoliberalismo, com a nítida vantagem para este ultimo. Vimos como o neodesenvolvimentismo dos governos petista fez o bolo crescer e ser acompanhado por significativa distribuição de renda. O bolo cresceu mas não mudou de dono. Mudanças estruturais, tão importantes para a democracia não foram realizadas. Nem mesmo na estrutura sindical. E isso é a base para a crise de representatividade que os sindicatos passam.
Tudo
  • Tudo
  • TV
  • Filmes e Séries
  • Rádios
      Nenhum resultado encontrado